Fisioterapeutas têm cada vez mais atribuições


>




 Aptidões individuais e as oportunidades no mercado influenciam na hora de decidir que carreira seguir. Para ajudar os estudantes, a Estácio fez uma parceria com o Dia Online e tem apresentado entrevistas com coordenadores de cursos, para tirar dúvidas e mostrar as atuações e vantagens de cada profissão. Hoje, a coordenadora da graduação em Fisioterapia, Sandra Helena Mayworm, fala sobre a área, cujo campo de atuação tem mudado muito.

 
1) Qual a duração do curso e a média salarial do profissional formado?
São 10 períodos, ou seja, 5 anos. O salário-base da categoria é de R$1.800, inicial.

2) Em que áreas pode atuar?

O campo de atuação do fisioterapeuta vem mudando muito; na década de 90 estava muito relacionado à reabilitação e por isso atuávamos em áreas como Ortopedia, Reumatologia, Neurologia (adulto e infantil) e Pneumologia. Na década seguinte, abrangemos áreas de Cardiologia e Fisioterapia Intensiva (UTI) e também de Promoção de Saúde e Prevenção, atuando em áreas como Ginecologia e Obstetrícia (pré natal e pós natal), Saúde do Trabalhador, com atuação dentro de empresas, esportiva e com idosos (gerontologia – incontinências urinárias). Com a evolução, a Fisioterapia abrange, além de todas essas áreas, nessa década, a Estética (fisioterapia dermatofuncional), as ações preventivas (idosos, hipertensos, diabéticos) e também as disfunções orofaciais, junto a Odontologia.
 
3) Qual o perfil do profissional?

O perfil segue as Diretrizes Curriculares Nacionais, ou seja, a ideia é formar fisioterapeutas generalistas, éticos, humanistas, críticos (prática de Fisioterapia baseada em evidências) e empreendedor, com uma visão do ser humano o mais abrangente possível, um ser biopsicossocial. Após a formação no curso de graduação, o fisioterapeuta escolhe a especialização a seguir, para uma preparação mais específica.
 
4) Há alunos da Estácio que se destacaram e são famosos no mercado? (mencionar cases de sucesso)

Sim. Hoje temos alunos bem colocados no mercado, como:
 
Anke Bergeman – formou-se na Estácio em 1995. Implantou o serviço de Fisioterapia do Hospital do Câncer III / INCA, sendo responsável técnica pelo serviço por 9 anos. Fundadora da Associação Brasileira de Fisioterapia em Oncologia, vice-presidente no período de 2008 a 2009 e Presidente para a gestão 2011 a 2013. Fundou a Câmara Técnica de Fisioterapia em Oncologia do CREFITO-2, sendo coordenadora de maio 2007 a maio de 2009. Atuou como membro da Comissão de Educação do CREFITO-2 por 4 anos. Foi coordenadora geral da Residência Multiprofissional em Oncologia/INCA de 2010 a 2011. Atualmente é Gerente da Divisão de Ensino/Coordenação de Educação/INCA.
 
Christiano Bittencourt Machado – formou-se 2m 2002 e é o atual Coordenador geral do curso de Fisioterapia da Universidade Estácio de Sá, e coordenador local do curso no campus Niterói, com doutorado em Engenharia Biomédica pela COPPE - UFRJ e em Física Acústica pela Université Pierre et Marie Curie - Paris VI, França - com "Mention Très Honorable"; (2011). Durante o ano de 2009, realizou seus estudos no Laboratoire dImagerie Paramétrique, Paris VI. Sua área de pesquisa principal é a caracterização do tecido ósseo por ultrassom quantitativo, mais especificamente na fratura óssea e no osso trabecular.
 
Carlos Henrique Brollo – formou-se em 2003. Fisioterapeuta desportivo do time profissional Sport Club Corinthians Alagoano de 2004-2012.Atualmente é preceptor de estágio em esportes na FAL-Faculdade de Alagoas e professor das disciplinas de anatomia, neuroanatomia e fisioterapia do esporte , fisioterapeuta da TOP academia, presidente da SONAFE-AL-Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva regional Alagoas.
 
 
5) O mercado está atrativo, numa boa fase? Por que?
Sim, com a expectativa de vida aumentando, necessitaremos de muitos fisioterapeutas para lidar com os idosos, tanto na prevenção e promoção de saúde, quanto nas complicações oriundas da velhice; com o stress, mais doenças surgem e o fisioterapeuta atua com procedimentos para o relaxamento; muitos eventos esportivos ocorrerão nos próximos anos, o que sinaliza um campo aberto para atuação esportiva e também, com a busca da beleza eterna, o campo de atuação na dermatofuncional só tem a crescer.
     
6) Que diferencial o curso da Estácio oferece em relação aos demais?
É um curso com professores muito competentes que atuam no mercado de trabalho, com possibilidades de enxergar a fisioterapia como  ciência, já que vários professores desenvolvem pesquisas dentro do curso. É uma instituição que dispõe de projetos de pesquisa e extensão, para incentivar o acadêmico a aprofundar ainda mais seus conhecimentos. Tem uma estrutura física com laboratórios atuais para as aulas práticas, tanto do curso como da universidade como um todo. Outro atrativo são os eventos realizados para e pelos alunos: ação social, atividade estruturada, cursos, palestras, jornada de fisioterapia. Há uma grade curricular atualizada, com carga horaria dividida em aulas teóricas e práticas, de forma a levar o aluno a um contato maior com a realidade da profissão.
Fisioterapeutas têm cada vez mais atribuições Fisioterapeutas têm cada vez mais atribuições Revisado by Faça Fisioterapia on 12:19 Nota: 5

Nenhum comentário